Canais de venda: o que são e como usá-los a favor da sua marca

Com a competitividade crescente, as tarefas para ampliar o alcance do seu negócio e fidelizar clientes não são tão fáceis. Hoje, com o rápido acesso a informações, é possível avaliar a melhor proposta em um piscar de olhos — seja comparando preços, fretes ou prazos.

Os consumidores, que se tornaram multicanais, navegam por aplicativos e páginas da internet e, em todos esses ambientes, se deparam com ofertas atraentes. Logo, se você deseja atingir o seu público-alvo, é essencial marcar presença em diferentes canais de venda.

O que são canais de venda?

Canais de venda são os meios utilizados por uma empresa para vender seus produtos. A ideia aqui é promover e difundir um negócio e, consequentemente, fazê-lo converter mais. Dividem-se entre virtuais (como e-commerces, redes sociais, marketplaces etc) e físicos (como showrooms, lojas pop-up etc)..

Entretanto, antes de se cadastrar em plataformas online e/ou investir em diferentes espaços, é fundamental compreender o que o público-alvo consome e onde ele se concentra. Dependendo do seu nicho, determinados canais de venda não surtirão o efeito esperado.

Com isso esclarecido, o próximo passo é conhecer mais sobre cada plataforma e, assim, estruturar as melhores abordagens para conquistar seus consumidores.

Quais são os tipos de canal de vendas online?

Loja virtual

Ter uma loja virtual é a primeira iniciativa para desenvolver uma apresentação de marca mais harmônica. Através de uma plataforma de e-commerce, você tem diversas alternativas para personalizar o seu negócio na internet — algo que você não encontrará em nenhum outro canal de venda.

Em uma loja online, é possível:

  • Automatizar a gestão de estoque;
  • Comunicar-se claramente com o seu cliente (afinal, na página do produto, você poderá adicionar todas as informações necessárias para levá-lo à conversão);
  • Integrar outros canais de venda ao seu e-commerce (redes sociais, marketplaces etc);
  • Conquistar mais tráfego orgânico por meio de adaptações com foco no SEO;
  • Escolher layouts e meios de pagamento e de envio que fizerem mais sentido para o seu empreendimento;
  • Elaborar páginas de conteúdo, como Sobre Nós e FAQ (Perguntas Frequentes).

Incrível, não? Logo, não é à toa que a loja virtual é considerada o principal canal de venda de marcas que buscam criar um negócio sustentável e escalável.

Redes sociais

Nos tempos atuais, é quase impossível encontrar pessoas que não acessem as redes sociais. Com o avanço tecnológico, a liberdade de se conectar com outros usuários, a partir de poucos cliques, se tornou algo bastante comum.

Para marcas especificamente, as mídias sociais são meios ideais para gerar visibilidade, engajamento e, através de ferramentas como o Instagram Shopping e a Loja do Facebook, conversões. Abaixo confira como o Instagram, o Facebook e o WhatsApp se configuram como canais de venda.

Instagram

O Instagram possui mais de 1 bilhão de perfis ao redor do globo. 70% das marcas estão ativas nessa rede social, e 8 em cada 10 usuários seguem contas comerciais.

E não para por aí: cerca de 45% dos instagrammers alegam comprar produtos e contratar serviços por indicação de influenciadores digitais. O marketing de influência está com tudo!

Logo, ter uma conta profissional nesse canal de venda te coloca à frente da concorrência. Através de dados que o próprio Instagram recolhe sobre o seu perfil, é possível entender melhor o seu público-alvo e quais conteúdos ele mais gosta.

Para descobrir como desenvolver uma estratégia completa no Instagram.

Facebook

Há quem diga que o Facebook está morrendo, entretanto, dependendo do seu segmento, ele ainda pode te servir muito bem como canal de venda. De acordo com Tomás Dotti (criador do blog Papo de Pai), essa rede social ainda oferece um diferencial em relação às publicações.

Por ser um espaço mais amplo para produção de textos e desenvolvimento de discussões, a chance de um conteúdo (e produto) viralizar é maior.

Além da Loja do Facebook citada anteriormente, o Facebook oferece a ferramenta de anúncios pagos, o Facebook Ads. Por meio dele, você tem a chance de segmentar seu público-alvo (por meio de idade, gênero, localização etc) e atingi-lo com maior assertividade, seja com propagandas em vídeo, imagem e/ou texto.

WhatsApp

Considerado uma rede social, o WhatsApp é muito mais do que isso. Além de fazer parte da estratégia de atendimento ao cliente, o mensageiro pode ser usado como um canal de venda pelas marcas.

Uma das suas principais vantagens é a possibilidade de manter contato direto com cada cliente. Ademais, o famoso zap permite que marcas adicionem seus catálogos quando utilizam a conta Business, voltada especificamente para negócios. Desse modo, é possível mostrar ali mesmo quais são os produtos disponíveis para compra.

Marketplaces

Marketplaces são plataformas de varejo que abrigam diversas lojas online, como se fossem grandes shoppings repletos de vitrines. Nesses canais de venda, o cliente pode comprar — com boas condições de frete e de pagamento — produtos de diversos vendedores, todos em um mesmo carrinho. Os mais conhecidos são Mercado Livre, OLX, Americanas, Submarino, Walmart e Amazon.

Mesmo viabilizando maior tráfego e visibilidade, por se tratar de um shopping online, a concorrência se concentra em um único lugar. O mesmo item que você oferece estará disponível em muitas outras lojas. Portanto, aposte em preços competitivos e acompanhe os concorrentes.

Dedique-se a descrições detalhadas dos seus produtos, atente-se às avaliações e responda a todas, sejam positivas ou negativas. Diferencie-se mostrando que sua marca se preocupa com cada feedback e tem como principal objetivo facilitar a vida do cliente.

Estar presente em canais de venda renomados, como a Amazon, agrega credibilidade à sua marca. Entretanto, vale ressaltar que marketplaces possuem suas próprias regras e layouts, portanto, você terá menos flexibilidade em relação à customização (se comparados a uma loja virtual, por exemplo).

Comparadores de preço

Como o próprio nome já diz, são bases que comparam valores de um mesmo produto em diferentes lojas virtuais – tudo em uma única página. São disponibilizadas ao cliente informações de preços, artigos e serviços de entrega, para que ele avalie qual compensa mais. Os mais conhecidos são Google Shopping, Buscapé, Zoom e Bondfaro.

Tais plataformas são importantes canais de venda, pois a partir do momento em que o cliente escolhe determinado produto, ele é redirecionado para o site que promoveu tal oferta. Por isso, mais uma vez, não deixe de observar a concorrência e investir em diferentes propostas. Assim será muito mais fácil se destacar e conquistar novos consumidores.

Se você já vende pela Nuvemshop, saiba como ativar o Google Shopping para a sua loja virtual e publicar seus produtos no Buscapé.

E-mail marketing

O e-mail marketing é uma ótima forma de estar em contato com seus potenciais clientes e também para vender produtos.

Isso porque um dos principais empecilhos de um negócio online são os carrinhos de compra abandonados: o cliente seleciona itens, porém, desiste de fechar a compra. Como causas principais das desistências temos: valor de frete não esperado, longo prazo de entrega e checkout confuso.

Diante disso, reflita e aplique possíveis melhorias na logística e nas funcionalidades da sua loja virtual, mas também invista na recuperação desses visitantes.

Ofereça vantagens e descontos — seja no próprio produto ou no frete — pelo e-mail marketing. De acordo com os produtos abandonados, crie listas de diferentes perfis de consumidores nesse canal de venda e, junto das ofertas, envie conteúdos relevantes, relacionados ao mercado.

Por exemplo, a lista tipo 1 abandonou produtos de maquiagem: envie, então, tais itens com descontos e compartilhe conteúdos sobre tendências atuais.

Além de direcioná-los à loja, você pode convidá-los a conhecer suas redes sociais e o blog corporativo. Assim, será muito mais fácil se aproximar do seu alvo. E, por consequência, ele se sentirá mais à vontade para interagir e voltar para finalizar a compra.

O Google é uma das maiores empresas de serviços digitais no mundo. A partir de suas redes de pesquisa e de display, é possível gerar tráfego para a sua loja virtual e, consequentemente, converter mais.

Esse canal de venda é ideal para atingir clientes que ainda não conhecem a sua marca, mas desejam adquirir algum produto ou serviço do seu segmento.

A rede de pesquisa, também conhecida como links patrocinados, funciona por meio da compra de palavras-chave relacionadas ao seu nicho. Assim, quando os usuários buscarem por elas no Google, o seu site possivelmente aparecerá nas primeiras posições do ranking.

Já a rede de display apresenta as propagandas da sua marca em sites parceiros. Os formatos da publicidade podem variar de banners a carrosséis.

Ambos os canais de venda permitem segmentação do público-alvo — considerando localização, idade, gênero e interesses — e escolha do pagamento por clique. Dessa maneira, você poderá definir quanto deseja gastar e controlar o seu orçamento por meio do Google Ads.

Programa de afiliados

Por fim, o programa de afiliados nada mais é do que um conjunto de pessoas que se dedica a vender os produtos do seu negócio. Esse tipo de convênio geralmente é intermediado por canais de venda, como a Hotmart e a Amazon, que estipulam as comissões.

Como vendedores, os afiliados promovem a sua marca e os links dos seus produtos em blogs, sites e redes sociais. Dependendo do nível de influência deles, sua taxa de conversão pode crescer rapidamente.

Quais são os tipos de canais de vendas offline?

Além dos canais de vendas online, existem os offline, que são mais tradicionais. Vamos conhecê-los a seguir!

Ponto de venda

Um ponto de venda (PDV) é uma loja física — o canal de vendas mais conhecido de todos. Ele pode ser próprio, quando a marca pertence ao dono da loja, ou uma franquia, no caso de pessoas que têm permissão para abrir uma loja em nome de outra marca.

Há também o modelo de pop-up store, que nada mais é do que um espaço compartilhado por muitas marcas. Ele pode ser temporário ou fixo.

Nesses estabelecimentos, os produtos ficam expostos e quase sempre contam com um estoque local (a não ser quando se trata de um showroom, uma espécie de mostruário).

Distribuidores

Distribuidores são empresas que fazem a intermediação dos produtos entre as marcas e os consumidores. O benefício desse tipo de canal é fazer uso da expertise dessas companhias em relação à logística. Desse modo, ao vender por meio de distribuidores, você consegue fazer suas mercadorias chegarem a mais pessoas.

Venda direta

Lembra-se dos famosos revendedores Avon ou Jequiti? Pois bem, elas são pessoas que fazem a venda direta de produtos.

Nesse tipo de modelo, os revendedores não têm vínculo empregatício com a marca e ganham comissão sobre os produtos que conseguem comercializar. Podemos dizer que esse canal de venda é um precursor do marketing de afiliados.

Telemarketing

Por fim, chegamos ao tão conhecido telemarketing. Por meio do telefone, além de fazer propagandas com a estratégia de outbound marketing, é possível realizar vendas.

É necessário, todavia, ter muito cuidado ao optar por esse canal. Devido ao seu estigma negativo, o vendedor precisa ter muito tato para lidar com os consumidores e não ser inconveniente.

Esperamos que este conteúdo sobre canais de venda tenha solucionado suas principais dúvidas sobre o assunto.

  • Share:

Leave a Comment

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href=""> <abbr> <acronym> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Envie sua Mensagem

Em breve um de nossos consultores entrará em contato.

Open chat
Precisando de ajuda?