8 tendências de vídeo marketing para 2021 que você precisa ficar de olho

Dentre todas as mudanças ocorridas em 2020, a principal delas é a antecipação de transformações que aconteceriam nos próximos anos. Tais mudanças afetaram os canais e os formatos de conteúdos utilizados pelas empresas – inclusive os vídeos, que já representam 82% do tráfego da internet de acordo com Cisco.

Trata-se de uma ferramenta poderosa por criar uma conexão ainda maior com o público – e, por isso, cada vez mais utilizada por empresas. Mas como usar o marketing de vídeo no seu negócio?

Como existem muitas possibilidades de usar este recurso na sua estratégia, preparamos este guia com as 8 principais tendências de vídeo marketing para 2021. Confira a seguir:

1. SEO para vídeos

Todo tipo de conteúdo precisa ser encontrado pelo público, não é mesmo? Por isso, o SEO para vídeos continua sendo imprescindível para qualquer estratégia de vídeo marketing. Segundo estudo da SEMRush, o formato possui 53 vezes mais chance de aparecer na primeira página de um mecanismo de busca.

Claro, o Google é a principal ferramenta de pesquisa disponível hoje. Antes dele apresentar vídeos nos resultados de pesquisa, o YouTube já fazia isso. Não à toa, a plataforma é o segundo maior motor de busca do mundo.

Com uma vasta gama de conteúdos educacionais, para entretenimento e outras finalidades, os usuários consomem o equivalente a 46 mil anos de vídeos no YouTube em um ano só. Por isso, as boas práticas de SEO são essenciais para se destacar na multidão.

Os algoritmos dos mecanismos de busca estão cada vez mais inteligentes e detectam a intenção do usuário com uma precisão cada vez maior. No entanto, trata-se de um recurso dinâmico e, por isso, é essencial ficar de olho nas suas atualizações. Hoje, as principais práticas a serem usadas são:

  • Inclua a palavra-chave no nome do arquivo de vídeo, títulos e descrições;
  • Adicione tags relevantes e que estejam relacionadas ao tópico do seu vídeo, principalmente em termos de palavras-chave com boa procura;
  • Inclua imagens em miniatura em seus vídeos e que sejam originais;
  • Adicione legendas e closed captions para melhor experiência do usuário.

2. Vídeos curtos

A ascensão do TikTok como um canal de mídia social transformou o mercado e popularizou o formato de vídeos curtos. Seguindo esta tendência, o Instagram lançou o Reels e o recurso está tendo um engajamento muito maior dos usuários da rede.

Costumam dizer que uma imagem vale mais do que mil palavras. Mas, agora, até essa frase mudou: “Se sua mensagem pode ser entregue em 6 segundos, por que não?”, segundo Nomit Joshi, diretor de marketing da Gionee.

Nesse sentido, também é interessante analisar o aspecto cultural. Os indianos, por exemplo, são bastante inclinados a assistir vídeos mais curtos porque o fazem quando estão no trânsito.

Esta tendência de vídeo marketing não se limita ao continente asiático. Afinal, os consumidores em geral costumam utilizar seus smartphones quando estão entediados, no caminho para o trabalho, durante os exercícios na academia e nas mais diversas outras situações cotidianas.

3. Storytelling para vídeos

Outra tendência fortíssima do vídeo marketing é o storytelling com elementos visuais. Maior autoridade de roteiros de Hollywood, Robert McKee dizia que é necessário entreter o público antes de educar – linha cada vez mais seguida para maximizar a experiência do usuário com o conteúdo.

Quem compra deseja consumir mais vídeos da marca do que outros formatos de conteúdo. Assim, o entretenimento torna-se a ponte de conexão entre marcas e consumidores – e a narrativa da sua história torna-se o efeito potencializador do engajamento da sua audiência.

Vale ressaltar que existem tipos de conteúdos que podem ser transformados em vídeos. Com adaptações e um bom storytelling, apresentações em slidespodcastsGIFsvídeos educativosdepoimentos webinars possuem valor estratégico atrativo.

Como exemplo de marca que explora storytelling temos a Airbnb, que usa as informações de seus consumidores de maneira criativa. Para o Ano Novo de 2015, a empresa criou uma animação para falar sobre o aumento de viajantes na data festiva – foram 550 mil, um aumento gritante em relação aos 2 mil hóspedes de cinco anos antes.

4. Vídeos sem som

Como tornar o vídeo acessível aos deficientes auditivos? Os vídeos sem som são imprescindíveis para atingir este objetivo, com o uso de recursos como legendas e Closed Caption.

Além de ser uma boa prática de vídeo SEO, pode aumentar ainda mais as visualizações do conteúdo nas redes sociais. Segundo estudo da Verizon Media, 92% dos usuários assistem vídeos com som desligado nos dispositivos móveis – além disso, muitas plataformas padronizaram a visualização sem áudio do conteúdo na timeline.

Pensando nos tipos de conteúdos que mais fazem sucesso neste formato, o estudo aponta para os tutoriais, aprovados por 55% do público. Em seguida estão receitas e notícias, os favoritos de, respectivamente, 53% e 52% dos usuários.

Para ter sucesso sem áudio, é imprescindível apostar na originalidade de imagens, infográficos e outros recursos. Assim, seu vídeo terá melhor compreensão sem recursos sonoros.

5. Vídeo 360º

Conforme mencionamos, clientes querem muito mais ver o produto do que ler sobre ele. Segundo estudo da SEMrush, 43% dos usuários preferem vídeos interativos em que podem escolher quais informações e quando desejam assistir.

Como oferecer isso? O Vídeo 360º é uma alternativa interessante, onde o usuário pode decidir qual ângulo da imagem quer olhar. Também conhecidos como vídeos imersivos ou vídeos esféricos, são considerados mais interessantes por 98% dos consumidores.

Para produzir neste formato, é necessário usar câmera omnidirecional ou mais de uma câmera. Outros pré-requisitos são um software de edição específico e um player com suporte a Vídeo 360º.

Apesar de possuir semelhanças com a Realidade Virtual (VR), não é a mesma coisa. Afinal, o Vídeo 360º permite somente a visualização de pontos diferentes da cena enquanto a VR possui interação com a mesma.

6. Live Commerce

No ano em que a pandemia do novo coronavírus obrigou medidas de distanciamento social, o comércio se viu forçado a procurar alternativas para se manter viável. Assim, abraçaram uma tendência que já era forte na China: o Live Commerce.

Também conhecido como Live Shopping, o nicho movimentou mais de US$ 123 bilhões somente no país asiático – o dobro dos US$ 60 bilhões de 2019. No Brasil, grandes empresas do varejo como Americanas e Riachuelo já aderiram à tendência.

Como funciona o Live Commerce? Ao usar uma transmissão ao vivo para demonstrar um produto e interagir com o público, deve-se direcionar o cliente para um canal onde ele poderá realizar a compra – seja por links ou até um QR Code na tela.

Por que é efetivo? Ao mostrar como o produto funciona na prática, é possível ter um engajamento dez vezes maior com este público. Além disso, a conversão em compra aumenta de seis a dez vezes com o Live Commerce.

7. Retransmissão de videoconferências

Outro recurso fundamental para lidar com o ano de 2020 foi a videoconferência. Afinal, o trabalho remoto tornou-se uma exigência para que as empresas continuassem operando.

Neste cenário, plataformas como Zoom, Microsoft Teams e Google Meets mostraram às empresas que é possível utilizar o trabalho remoto de maneira eficiente. Tudo isso com painéis e debates promovidos em alta escala.

E por que não reaproveitar este material? Afinal, é possível utilizá-lo para educar o público com conteúdos de valor – e até em ações e comunicação interna. Desta forma, a retransmissão de videoconferências é uma das principais tendências de vídeo marketing.

Neste tipo de conteúdo, a experiência Picture-in-Picture será o padrão. Outro recurso visual utilizado nele será a presença de uma audiência virtual no background das transmissões.

8. Eventos Online

Outro mercado que aderiu à transformação digital devido ao combate à COVID-19 foi o de eventos. Sem a possibilidade de utilizar o formato presencial, os eventos online se consolidaram de vez.

Por quê? Além de permitirem redução de custos operacionais como o deslocamento de participantes e a locação do espaço físico, os eventos digitais potencializam o alcance para qualquer região do mundo.

Além disso, o conteúdo pode ser disponibilizado para o público após o evento, sendo peça da sua estratégia de vídeo marketing. Melhor: tudo isso sem custos adicionais porque o investimento em equipes de produção audiovisual já está previsto no orçamento.

Com todos estes benefícios, o uso da tecnologia no nicho se manterá forte até quando as pessoas puderem se reunir presencialmente. Isso graças ao que chamamos de evento híbrido – o melhor de dois mundos dos formatos presencial e online.

Por se tratar de um formato de conteúdo, o vídeo é imprescindível para qualquer estratégia de marketing. Com o fortalecimento dos conteúdos de nicho e plataformas OTT, aderir a estas tendências será o diferencial para atingir sua persona de maneira efetiva.

  • Share:

Leave a Comment

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href=""> <abbr> <acronym> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Ver más

  • Responsable: Sept Midia.
  • Finalidad:  Moderar los comentarios.
  • Legitimación:  Por consentimiento del interesado.
  • Destinatarios y encargados de tratamiento:  No se ceden o comunican datos a terceros para prestar este servicio.
  • Derechos: Acceder, rectificar y suprimir los datos.
  • Información Adicional: Puede consultar la información detallada en la Política de Privacidad.

Envie sua Mensagem

Em breve um de nossos consultores entrará em contato.

Open chat
Precisando de ajuda?